PUBLICIDADE

Brasileiros buscam cada vez mais cirurgias de redução de estômago

06/26/2013
Author: Portal Beleza Brasileira  |  Category: Estética

Junto com o aumento da obesidade no Brasil, a realização de procedimentos de redução de estômago – as cirurgias bariátricas – tem registrado um crescimento exponencial no país.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), o número de procedimentos cirúrgicos no país,  pulou de 16 mil, em 2003, para 80 mil, em 2012. A cirurgia é indicada para pacientes com Índice de Massa Corpórea acima de 35 ou 40, quando há presença de outras doenças associadas à obesidade. O procedimento extirpa uma parte do estômago ou do intestino e ainda pode recorrer a intervenções no aparelho digestivo (no Brasil, são aprovadas quatro modalidades cirúrgicas). “O número de obesos aumentou, a informação sobre a cirurgia aumentou também e tivemos um grande avanço, que foram as operações por laparoscopia”, diz o cirurgião Fábio Viegas, um dos precursores deste tipo de cirurgia no país.  “As bariátricas por vídeo tornaram o processo mais confortável, com menos dor e uma volta mais rápida ao trabalho. Tudo isso atrai mais a procura” esclarece.

Segundo o cirurgião, que é Presidente do Instituto Fábio Viegas, o primeiro serviço de obesidade, no Rio de Janeiro, a ser reconhecido internacionalmente como um Centro de Excelência em Cirurgia Bariátrica, apesar de muitas pessoas estarem entendendo que a obesidade mórbida é uma das doenças que mais mata no mundo, existindo a necessidade de se divulgar muito sobre a importância da cirurgia bariátrica como um grande aliado para o fim desta enfermidade. “O Brasil  fica atrás apenas dos Estados Unidos no ranking mundial – os americanos estão de longe na frente, com cerca de 400 mil cirurgias do tipo realizadas em 2012. Enquanto a crise econômica levou a uma queda no número de cirurgias nos Estados Unidos, no decorrer deste ano, a tendência no Brasil foi de crescimento, acompanhando a demanda. Para 2013, o Instituto Fábio Viegas fará campanhas de conscientização para a qualidade de vida, contra a obesidade mórbida, que como o próprio nome diz-leva a morte”. Adianta.

Apesar do aumento da procura, o salto no número de cirurgias também é visto com ressalvas por alguns especialistas que alegam que o procedimento é radical e que as soluções não devem ser únicas, mas múltiplas.  Fábio Viegas observa que na maioria dos casos esta pode ser a única solução. “As complicações decorrentes da obesidade mórbida fazem do tratamento cirúrgico uma via de acesso a uma vida mais saudável, com mais qualidade e principalmente, mais longa”, afirma o médico, ressaltando a importância de conhecer a história por trás de cada caso.

De acordo com o cirurgião,  o tratamento clínico tem eficácia somente em 10% dos casos, enquanto a intervenção cirúrgica soluciona 90% deles. As estatísticas ajudam a explicar o interesse em torno do procedimento.

Fonte: DMC 21 Comunicação e Marketing


Deixe uma resposta

Desenvolvido por: